terça-feira, 30 de outubro de 2012

SPFW Inverno 2013 - dia 1

Sim! Já é tempo de fashion week em SP! Essa edição extraordinária - apenas 5 meses depois do verão 2013 - já cobre o que vamos usar no inverno do ano que vem! Tanta antecedência é por conta da mudança no calendário oficial da moda brasileira anunciada em março. Basicamente, as organizações da SPFW e do Fashion Rio concordaram em apresentar as coleções de verão na segunda quinzena de março e as de inverno na segunda quinzena de outubro. Assim, haverá um intervalo maior entre o lançamento e a chegada das coleções ao varejo, da mesma forma das semanas de moda internacionais. Nessa SPFW veremos o inverno 2013 de 19 marcas (contra 33 da edição anterior), desfilando entre os dias 29/10 e 1º/11. Vamos ao resumão do dia 1? :)
Logo para começar o banho gelado do inverno antes mesmo de estarmos no verão, a Osklen apresentou uma coleção gélida inspirada na sofisticação dos anos 60 em Aspen. Toques da rusticidade da Patagônia também serviram de inspiração para o estilista Oskar Metsavaht, em peças com estampas discretas, mesmo nos prints de paisagens. Foram ao todo 18 looks, em uma síntese do que costuma ser um desfile tradicional. Eu achei tudo um pouco invernal demais para o Brasil, mas tudo bem.
Mais uma novidade dessa SPFW: a volta de Ronaldo Fraga! Depois de um mini período sabático, o rei da moda artesã ressurgiu com uma coleção linda inspirada no livro “ô fim do cem, fim…”, de Paulo Marques de Oliveira, sobre os fundamentos do mundo vistos pela ótica de um interiorano de Minas Gerais. O resultado é um mix de estampas e cores delicadas, além do clássico trabalho manual nos tecidos. O desfile é tão poético que os destaques estão nos detalhes, como as peças de estampa de casinhas que ganharam "janelas" que se abrem no tecido. De uma delicadeza, linda!
 Bem mais séria que em coleções passadas, a Têca, de Helô Rocha, baseou-se no universo da caça inglesa para o inverno 2013. Outras inspirações vieram da moda inglesa dos anos 1960, mote para a estilista interpretar as cores da camuflagem e o mundo animal. As silhuetas são sessentinhas e românticas, mas bem sequinhas e com linhas mais retas. As estampas, carro-chefe da marca, foram definidas por Helô como um “camuflado fake”: as cores do camuflado aplicadas a uma estampa xadrez. Outra novidade são as peças cobertas de "pelos" animais - tudo fake, claro. Eu amei, em especial, o vestido em couro metalassado.
Exagerado como sempre, Fause Haten apostou na transparência e no tafetá, em uma coleção quase carnavalesca. A inspiração da FH, no entanto, foram as patinadoras no gelo, que trouxeram o rosa choque e o vermelho para dançarem ao lado do preto e branco na passarela. As saias listradas rodadinhas com tule embaixo estavam fofas e alguns longos glamourosos também tinham seu charme, mas no mais achei tudo um pouco exagerado demais, em especial os óculos cobertos de pedrarias... Pobres modelos!

Inspirado no filme “Os Pássaros”, de Alfred Hitchcock, Tufi Duek se jogou no couro, nas rendas e nas penas! Apesar dos materiais exagerados, a cartela de cores bem sóbria não deixou a loucura tomar conta e o resultado foi uma coleção mega elegante. A mulher do inverno 2013 da marca é tradicional, chique e conservadora, mas também tem seus momentos sexy e provocantes (vide os sapatos meeeega sexy). Minhas peças preferidas foram os vestidos com decotes inspirados em bicos de corvo, como o primeiro da montagem.
O desfile da Triton foi guiado por três linhas bem distintas entre si, mas que acabaram funcionando bem umas com as outras: o militar, o oversized e o mundo da botânica. Focando no público jovem, a coleção tem muitos coletes, minissaias, calças mais curtas, shorts, fendas e jaquetas. O make é bem forte, para combinar com as peças e um dos grandes destaques são os sapatos, inspirados em luvas de boxe. Eu, particularmente, gostei de poucas peças, mas acho que é uma coleção bem feita, com peças que articulam entre si.
Finalmente, no desfile mais conceitual do dia 1 de SPFW, a Ellus trouxe um verdadeiro batalhão de polícia modelos para a passarela. Fardados em macacões azuis, de óculos e caps, a tropa de 50 modelos masculinos fez um verdadeiro paredão para o desfile. O efeito foi lindo, mas a coleção nem tanto. Junto a chapéus policiais, estampas de armas, insígnias e afins, peças fetichistas, como o couro, o látex, transparências, fendas, decotes, botas de cano alto e até uma joia imitando algema com corrente ligando o pescoço ao pulso... Além de literal demais na maioria das peças, eu achei a coleção como um todo de leve mal gosto, até cafona mesmo, sabe? Mãããs, gosto não se discute né? =P

**Imagens: FFW.com.br**

0 comentários :

Postar um comentário