quarta-feira, 25 de janeiro de 2012

SPFW Inverno 2012 - último dia


 E finalmente acabou a temporada de moda nacional desse inverno 2012. No último dia de São Paulo Fashion Week, desfilaram pelas passarelas da bienal as marcas Neon, Fernanda Yamamoto, Alexandre Herchcovitch MEN, Amapô e André Lima. Vamos a elas? (Fotos: FFW)
Dudu Bertholini e Rita Comparato sempre criam coleções alegres e cheias de cores. Não por menos a marca da dupla se chama Neon. Nesse inverno 2012, a natureza das flores e a cultura multi-étnica do Istambul foram as principais referências para uma coleção cheia de jogos de proporções. De ombros estruturados a cinturas marcadinhas ou quadris alargados, tudo foi uma espécie de teste de modelagens. Ao mesmo tempo, algumas peças minimalistas surgiam na passarela, como os tubinhos de uma cor só. Nos acessórios, a dupla deixou-se levar pelo ar carnavalesco, dando ainda mais diversão ao desfile.
Com uma cartela de cores bem mais fechada - e focada -  Fernanda Yamamoto criou peças sequinhas, com trabalho de sobreposições. A inspiração para o desfile foram pinturas do Renascimento, em especial retratos da imperatriz romana Bianca Maria Sforza. Apesar disso, a estilista conseguiu trazer contemporaneidade aos looks por meio de comprimentos e formas variadas. Outro destaque da coleção é o fato de as peças serem acessíveis a todas as idades. Nada é muito curto ou muito justo e, ao mesmo tempo, as estampas tem potencial para agradar tanto as clientes mais velhas quanto as mais jovens.
Em seu terceiro desfile da temporada de inverno (haja fôlego), Alexandre Herchcovicth buscou nas roupas usadas pelos judeus ortodoxos a inspiração para sua coleção masculina. A referência não poderia ser mais pessoal, já que Herchcovitch passou ele próprio 12 anos estudando em um colégio ortodoxo, com rabinos como professores e idioma oficial das aulas sendo o hebraico. Apesar dos exageros conceituais, a coleção tem diversos méritos. A começar pelas peças por baixo das sobreposições, que revelam-se mais que usáveis. São camisas, calças, bermudas e casacos enxutos, mas que ainda assim levam a assinatura do estilista. A cartela de cores, apesar de um pouco restrita (preto, branco, marinho e cinza), combina com o tema do desfile e também agrada esteticamente.
Com direção criativa de Carolina Gold e Pitty Taliani, a Amapô propõe um inverno alegre e colorido, cheio de estampas desejo e estruturas diferentes. Uma das várias inspirações, segundo as estilistas, foi o coletivo AVAF, de Eli Sudbrack, responsável por quase todas as estampas da coleção. Nós amamos os paetês multicoloridos, as botonas a la super herói e os discretos suspensórios masculinos, que - por que não? - também podem ser usados por nós mulheres.
E, finalmente, André Lima, o estilista nacional top top quando se fala em roupas de festa, fecha com chave de ouro a semana de moda paulistana. Inspirado pelas culturas asiática e africana de uma forma geral, ele criou uma coleção realmente multicultural, cheia de elementos que nos remetem a mil e uma imagens (Juliana Lopes, do FFW, citou umas 15!). De uma forma mais concisa, nós gostamos das opções. Sim, porque um desfile tão cheio de imagens e looks distintos, atrai o mais variado tipo de clientes e dá a elas várias opções. E não é isso que a gente gosta na moda? Pessoalmente, eu amei quase todas as peças em dourado, o make impecável de Robert Estevão, o vestido leve estampado (com super cara de verão) e o terno total prata. E vocês?

0 comentários :

Postar um comentário